Notícia

Home » Vela Brasileira mostra sua força no Mundial de J70

Vela Brasileira mostra sua força no Mundial de J70

Crédito: Kurt Arrigo

A vela brasileira obteve neste sábado, dia 16, mais um resultado expressivo na temporada 2017. No encerramento da disputa do Campeonato Mundial da Classe J70, em Porto Cervo, na Itália, o país conseguiu colocar duas embarcações dentro do top 15 da classificação geral. O barco Arrivederci ficou em 8° lugar (42 pontos perdidos), sob comando de Vitor Demaison ─ que tem no currículo, entre outros títulos, o de campeão mundial júnior de Snipe ─ e tendo como tático Henrique Haddad, velejador olímpico nos Jogos Rio 2016 (classe 470). Já o Tô Nessa, do comandante Renato Faria, terminou em 13° (52 p.p.), tendo entre os tripulantes o medalhista olímpico Kiko Pellicano, e Samuel Albrecht, representante do Brasil na classe Nacra 17 nos Jogos Rio 2016.

 

Ao todo, o Brasil ainda teve outras quatro embarcações no evento, demonstrando o grande potencial de crescimento da classe J70. Também na flotilha ouro, o Era Ora, de Manoel Munoz e Alan Adler, acabou na 48ª posição, com 162 pontos perdidos. Na flotilha prata, o Urubu, de Horacio e Nicolas Carabelli, ficou em sexto lugar (107 p.p.); o Highlanders, de Selmo Nissenbaum e do campeão olímpico Marcos Soares, terminou em décimo (146 p.p.); e o Mandachuva, de Mário Garcia, obteve a 31ª colocação (201 p.p.).

 

O título mundial foi para o barco norte-americano Relative Obscurity, comandado por Peter Duncan, que teve uma campanha muito forte, terminando todas as regatas entre os três primeiros e somando apenas 8 pontos perdidos.

 

“O resultado mostra que o Brasil tem um nível técnico alto, apesar do número de barcos (de J70) ser pequeno, por ora. A gente chegou muito bem preparado. O Mundial foi o fim de um projeto que começou no ano passado e que deu certo. Fizemos um campeonato sólido e consistente. Estávamos muito conscientes de onde queríamos chegar e por pouco não ficamos entre os cinco primeiros. A gente termina muito feliz com o resultado e agora é pensar no próximo projeto”, afirmou Henrique Haddad, tático do Arrivederci.

 

SOBRE A CBVELA

A Confederação Brasileira de Vela (CBVela) é a representante oficial da vela esportiva do país nos âmbitos nacional e internacional. É filiada à Federação Internacional de Vela (World Sailing) e ao Comitê Olímpico do Brasil (COB). Tem o Bradesco como patrocinador oficial, e o Grupo Energisa como parceiro oficial e patrocinador oficial da Vela Jovem. A vela é a modalidade com o maior número de medalhas de ouro olímpicas na história do esporte do Brasil: sete. Ao todo, os velejadores brasileiros já conquistaram 18 medalhas em Jogos Olímpicos.

Comentários

comentarios

Leitor de Página Press Enter to Read Page Content Out Loud Press Enter to Pause or Restart Reading Page Content Out Loud Press Enter to Stop Reading Page Content Out Loud Screen Reader Support